0

Jeep Renegade aposta no off-road para deixar rivais na lama

Tudo mudou do começo do ano para o momento atual: lançado em março, ourbano Honda HR-V bateu o até então todopoderoso Ford EcoSport e assumiu a liderança do segmento de SUVs no Brasil, mesmo com menor tempo de loja; outro modelo que chegou depois, mudou parâmetros do mercado e pode pode alterar esse cenário novamente, em breve, é o Jeep Renegade. Com maior venda nos últimos meses que HR-V e EcoSport, o modelo feito em Goiana (PE) aposta na cultura off-road para atrair clientes e deixar rivais na lama.

Cada vez mais, a Jeep quer passar a imagem de que o Renegade é o SUV para enfrentar tanto os desafios do asfalto, com sua versão flex, quanto as trilhas pesadas, com as configurações a diesel e com tração 4×4. Partindo de R$ 99.900 — R$ 30 mil mais caro que a versão 1.8 flex de entrada –, a montadora aposta no diferencial do DNA aventureiro da marca para atrair e encorajar novos consumidores para o mundo fora de estrada. A marca ainda não abre o jogo totalmente, mas vai apostar mais forte em expedições com donos e clientes em potencial a partir de 2016 para reforçar esta imagem — e, de quebra, reforçar as vendas.

Único SUV da categoria a oferecer um motor movido a diesel — Ecosport e Duster também possuem versões 4×4, mais acessíveis (a partir de R$ 82.500 e R$ 82.490, respectivamente), mas com motores flex, menos “torcudos” e aptos ao off-road pesado –, o Renegade já briga pela segunda posição no ranking, com cerca de 32 mil unidades vendidas no ano. Em outubro e novembro, bateu tranquilamente os rivais Ford Ecosport, Renault Duster, Chevrolet Tracker e o próprio Honda HR-V.

No Estado de São Paulo, atualmente o maior mercado do Renegade, cerca de 20% das unidades vendidas são equipadas com motor diesel 4×4, número que em algumas capitas no nordeste do país chega a dobrar, devido ao maior preço da dupla gasolina/álcool e maior instabilidade do solo.

Aventura off-road

UOL Carros testou a versão 4×4 diesel do Jeep Renegade em uma expedição promovida pela Jeep nos arredores do Parque Nacional da Chapada Diamantina, partindo do município de Lençóis, na Bahia. A versão testada foi a Sport, equipada apenas com teto solar panorâmico opcional (R$ 7 mil). De série nas configurações 4×4 estão o para-choque diferenciado que, combinado com o barulho do motor diesel em marcha lenta, deixa a sensação de aventura no ar.

Durante a expedição de três dias, o motor turbodiesel 2.0 com 175 cavalos (Multijet, de origem Fiat, mas retrabalhado pela marca americana dentro da aliança da FCA), equipado com o câmbio automático de nove marchas, respondeu bem nas acelerações, retomadas e passagens mais críticas de solos. O grande número de trocas de marchas, típico neste situação, ocorre suavemente. A suspensão, independente nas quatro rodas, respondeu bem a instabilidades do solo e pancadas em buracos e pedras.

Os pneus equipados originalmente nas versões Sport e Longitude têm configuração de rodagem para asfalto, o que pode prejudicar um pouco a aderência na lama. É normal os sulcos ficarem totalmente cobertos por barro, dificultando bastante o controle do carro. Apenas a versão Trailhawk tem uma configuração mista 70-30 — 70% do uso no asfalto e 30% de uso em outras condições.

O conforto e dirigibilidade durante os trajetos off road se manteve bem semelhante aos do asfalto. O barulho do motor invade pouco a área interna e a suspensão trabalha silenciosamente reagindo às instabilidades do solo. Em trechos de pedras é um pouco comum ouvir rangidos dos acabamentos internos e do teto solar quando fechado, o que chega a incomodar o motorista.

Todas as versões 4×4 do Renegade oferecem um botão seletor de tração, onde é possível escolher entre: areia, lama, neve ou pedra (este último ajuste disponível apenas na versão Trailhawk, topo de linha) . A cada seleção, o carro adapta a dosagem de tração e controle de estabilidade nas rodas, o que facilita a condução para um motorista não acostumado com essas situações e a passagem por trechos mais complicados. O recurso de tração reduzida também está disponível em todas as versões a diesel.

 

FONTE: UOL CARROS

megaturbos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *